Distúrbios das Adrenais

Incidentalomas Adrenais

São massas adrenais de 1 cm ou mais de diâmetro encontradas ao acaso durante a realização de exames de imagem para investigação de patologias não relacionadas às adrenais.

Podem ser um achado clínico benigno ou estar associado a aumento da produção de hormônios que podem causar várias manifestações clínicas decorrentes da hiperprodução hormonal. Na maioria das vezes são benignos e não funcionantes. 

As principais etiologias são: adenomas corticais não funcionantes, feocromocitoma, hipercortisolismo subclínico, hiperaldosteronismo primário, carcinomas adrenocorticais e metástases.

Adenomas

Carcinomas

Adenomas adrenais são muito mais frequentes do que os carcinomas. Geralmente os adenomas são pequenos com diâmetro médio de 2 a 3 cm. A maioria não produz hormônios, mas podem produzir cortisol e mineralocorticóides. 

Feocromocitomas

Os feocromocitomas são tumores de células cromafins da medula adrenal que produzem, armazenam e secretam catecolaminas que ocasionam grande impacto na qualidade de vida dos pacientes. Aproximadamente 10% dos feocromocitomas são diagnosticados como massas adrenais clinicamente inaparentes.

Podem ser familiares ou, mais comumente, esporádicos. Os casos familiares podem se apresentar de forma isolada ou como parte de síndrome de neoplasia endócrina múltipla tio 2 ( NEM - 2), doença de von Hippel - Lindau, neurofibromatose tipo 1 e os paragangliomas hereditários do pescoço.

Deve ser sempre considerado na investigação diagnóstica de um paciente hipertenso.

Em adultos aproximadamente 90% dos tumores estão localizados nas glândulas adrenais, ao passo que 10% dos casos são extra-adrenais, também chamados paragangliomas.

Manifestações clínicas: são bastante variáveis: hipertensão arterial sistêmica; paroxismos ( crises de cefaléia de forte intensidade, palpitações e sudorese); palidez; náuseas; tremores; fraqueza; nervosismo; dor torácica; dor epigástrica; disnéia; parestesdias; dor em flanco; visão turva etc.

O carcinoma primário da adrenal é muito raro, ocorre com uma distribuição bimodal ( em crianças menores de 5 anos e adultos nas quarta e quinta décadas). Até 94% dos carcinomas adrenais são funcionantes ( secretores de cortisol; cortisol e andrgênios, androgênios). A grande maioria dos carcinomas descobertos ao acaso são não funcionantes.

Insuficiência Adrenal

Pode ser primária ou secundária e se manifestar clinicamente de maneira aguda ou crônica. A insuficiência adrenal primária ou doença de Addison ocorre devido a doenças que causam destruição de 90% ou mais do córtex adrenal ou que diminuem a produção dos esteróides adrenais.

A insufciência Adrenal secundária é causada princialmente pelo uso crônico de glicocorticóides em doses excessivas. pode também resultar de alterações ou condições que comprometem a hipófise ou hipotálamo.

A suspensão abrupta de glicocorticóides usados em doses excessivas podem levar á insuficiência adrenal secundária, e apresentam os seguintes sintomas: astenia, mal - estar, falta de apetite, perda de peso, distúrbios gastrointestinais,, vômitos, dor abdominal, sintomas psiquiátricos, etc.

Quadro clínico da Insuficiência Adrenal Crônica Primária      ( doença de Addison ): fraqueza, astenia, anorexia, náuseas, vômitos, dor abdominal,  diarréia, sintomas posturais, mialgias ou artralgias, sintomas psiquiátricos, perda de peso, hiperpigmentação, hipotensão, vitiligo, redução da libido, avidez por sal, hipovolemia, hiponatremia, hiperpotassemia.

Síndrome de Cushing

A  síndrome de Cushing é uma doença que resulta da exposição prolongada a quantidades excessivas de glicocorticóides. Pode sr decorrente do uso de doses elevadas de glicorticóides ( exógena) ou da hiperprodução  endógena de cortisol ( endógena).

Pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais comum nos adultos e predomina no sexo feminino.

Pode ser ACTH dependente ( Doença de Cushing, Síndrome do ACTH ectópico, Síndrome do CRH ectópico) ou ACTH independente ( Adenoma adrenal, Carcinoma adrenal, hiperplasia adrenal macronodular primária, Doença adrenal nodular pigmentar primária).

A síndrome de Cushing ACTH dependente ocorre quando o excesso de cortisol tem origem no aumento da secreção de ACTH. A causa mais frequente é um adenoma hipofisário secretor de ACTH ( Doença de Cushing).

 

A síndrome do ACTH ectópico pode se originar de vários tumores, principalmente o carcinoma pulmonar de células pequenas. Nos centros endocrinológicos os tumore carcinóides brônquicos são a causa mais frequente da síndrome do ACTH ectópico.

Manifestações Clínicas: ganho de peso, fraqueza, hipertensão, face arredondada, pele fina, giba de búfalo, hirsutismo, estrias violáceas, equimoes fáceis, cicatrização de feridas comprometida, pletora facial, fraqueza muscular proximal, osteopenia, osteoporose, cálculos renais,  depressão, distúrbios menstruais, disfunção erétil. redução da libido, alterações na glicose e nos lipídeos.

Hiperaldosteronismo primário

O hiperaldosteronismo primário é a causa mais comum de hipertensão arterial secundária.. É considerado uma síndrome associada a um grupo de distúrbios que se caracterizam pelo excesso de produção de aldosterona de forma autônoma com supressão da atividade plasmática de renina, hipertensão arterial, podendo em alguns casos existir hipopotassemia.

A maioria dos pacientes é assintomática, mas podem apresentar alguns sintomas: cefaléia, palpitações, fraqueza muscular, poliúria, nictúria, cãibras, tetania, parestesias etc.

HARMONY TRADE CENTER 

Rua Dr. José Afonso de Melo, 118, Sala 826; Jatiúca, Maceió/AL; CEP: 57036-510 

Tel: 082-3316-5219

       082 -99181-6336

  • Instagram ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Google+ ícone social